quinta-feira, 11 de abril de 2013

CAMINHADA FOTOGRÁFICA "UM OLHAR EM 32"

Realizada através da parceria entre o Senac Itapira, a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e o Núcleo MMDC de Itapira "Coronel Francisco Vieira", o evento ocorrido no sábado, 06 de abril de 2013, contou com 38 participantes entre fotógrafos amadores e profissionais.
A caminhada tinha como finalidade deslocar os inscritos às localidades de Eleutério, Sapucaí (Jacutinga-MG) e Morro do Gravi, onde receberiam informações sobre a importância histórica desses lugares, palco das refregas entre as forças paulistas e ditatoriais durante a Revolução Constitucionalista de 1932, bem como a contínua orientação de um docente da área de fotografia digital para a utilização e aplicação das técnicas fotográficas.
A saída dos participantes e da equipe organizadora deu-se às 8h30 horas, em ônibus da Empresa Etco Tur cedido pela Secretaria de Cultura e Turismo de Itapira tendo como primeiro destino o bairro Eleutério. Lá o grupo foi conduzido até o "Casarão Frassetto" recebendo informações sobre o mesmo e logo após deslocaram-se até o antigo prédio, usado como cadeia e a estação, onde também foi destacada a sua relação com os eventos de 1932.  Ainda nesta localidade os participantes foram recepcionados pelo Secretário de Cultura e Turismo do Município, Marcelo Dragone Iamarino, o qual, após algumas palavras, posou para uma foto com o grupo.


Após a caminhada em Eleutério, seguiu-se de ônibus até a localidade de Sapucaí, bairro situado em Jacutinga, MG.  Neste bairro o grupo visitou a antiga estação de trem, onde recebeu informações sobre o histórico da construção e sua utilização, bem como de seu entorno, durante os meses que durou o conflito bélico de 1932. Em seguida, foi visitada a capela da Imaculada Conceição, localizada ainda Sapucaí Velho.  A capela estava fechada quando da chegada do grupo, mas foi gentilmente aberta pela responsável local para acolher a visitação dos interessados. Lá receberam explicações sobre os fatos relacionados à capela e os danos sofridos pela mesma durante a revolução.
O SAAE ofereceu cerca de 100 copos de água mineral para serem distribuídos entre os inscritos na caminhada.

Finalizando a caminhada, de ônibus, seguiu-se até o Morro do Gravi, onde os participantes receberam informações sobre o local e a sua importância histórica para a Revolução Constitucionalista de 1932 e a necessidade de se manter viva a memória daqueles que tombaram defendendo a Lei e a Ordem. Aproveitou-se ainda a oportunidade para convidar a todos a participarem das comemorações ali realizadas no dia 9 de julho.